Mês passado, entrei no meu perfil do Instagram para procurar uma foto antiga. À medida que as imagens subiam, fui revendo momentos que tinha esquecido. Descendo mais, começaram a aparecer viagens, livros, declarações, passeios, frases de efeito e, quando

Mês passado, entrei no meu perfil do Instagram para procurar uma foto antiga. À medida que as imagens subiam, fui revendo momentos que tinha esquecido. Descendo mais, começaram a aparecer viagens, livros, declarações, passeios, frases de efeito e, quando baixei a guarda por um momento, me peguei pensando: “Queria que a minha vida fosse legal assim!”.

Opa! Mas aquela ERA a minha vida. Será que piorou de um tempo pra cá? Na verdade não. Tá tudo bem. O problema é que os recortes que publiquei passam a ideia de que TUDO era incrível. Fui ludibriado pela edição que eu mesmo fiz.

Se pude enganar a mim mesmo, imagine o quanto somos “enganados” pelos outros. Não quero dizer que as pessoas fazem isso de propósito. Eu não fiz, mas aconteceu. Somos bombardeados o tempo inteiro com recortes “perfeitos” da vida dos outros e, ao olharmos para o nosso cotidiano, não parece tão legal. Nesse momento, duas coisas podem acontecer:

1. Você fica deprimido por não ter uma vida tão boa como todas as outras pessoas do mundo.

2. Você fica deprimido e começa a postar para mostrar ao mundo como a sua vida também é boa.

As duas situações são ruins. O melhor, eu acho, é que a gente tente entender que a grama do vizinho só parece mais verde porque ele ajustou o filtro antes de postar.


NOTA POLICIAL
Em assembleia realizada no Twitter, jovens descolados votaram pela criminalização do uso de bermudas cargo caqui. A partir de agora, quem for flagrado vestindo essa peça será preso pela Polícia da Moda. A medida já está em vigor, mas o STF (Supremo Tribunal Fashion) ainda deve opinar sobre a constitucionalidade da lei. Será uma votação apertada, já que recentemente esse mesmo tribunal decidiu pela descriminalização do porte de pochetes.

DICA DE LEITURA
Se acha que a nossa sociedade está fadada ao fracasso, por favor, leia o livro “Sapiens - Uma Breve História da Humanidade”. Você descobrirá que não vamos fracassar. Na verdade, já fracassamos e faz mais de 15 mil anos. Então, durma tranquilo. Já deu errado e a culpa não é sua.

Antino Silva é sócio da Printerama, jornalista frustrado e, segundo o atual presidente, um mau brasileiro.