À primeira vista, o Fusca pode parecer um carrinho muito simpático. O tamanho reduzido e a aparente fragilidade compõem a áurea de inocência do automóvel da Volkswagen. No entanto, meus amigos, por baixo das curvas da sua lataria está escondido um dos maiores mistérios da humanidade.


No tempo em que a internet era só mato, um site mantido pelo jornalista Luís Moraes reuniu um enorme acervo de imagens comprovando que um Fusca nunca está sozinho. Onde tem um, sempre tem outro! Além das fotos, o site publicava relatos de internautas que testemunharam o estranho fenômeno de conexão entre esses carros.

Alguns acreditavam que a ligação entre os Fuscas teve origem em experiências do exército alemão com as “ciências ocultas” durante a Segunda Guerra Mundial. Misturando o sobrenatural com engenharia mecânica, eles teriam descoberto uma forma dos veículos estarem sempre juntos. O que é muito útil durante uma guerra. 

Quando eu tive o primeiro contato com a teoria, não acreditei. “Ô besteira!”. No entanto, com o passar dos anos, a testei diversas vezes e vi o quanto ela é real. Tive que me render. Não entendo os motivos e nem me importo. Só sei que no código da matrix em que vivemos, os Fuscas nunca estão sozinhos.

Não acredita? Tudo bem. Não quero converter ninguém. Mas, quando encontrar um Fusca, olhe ao redor com cuidado. Tenho certeza que encontrará outro por perto. o.O

---

Antino Silva é sócio da Printerama, jornalista frustrado e, segundo o atual presidente, um mau brasileiro.