Sempre Desista
Fluir pelo espaço é bem mais legal do que tentar possuir o espaço. Afinal, "Não temos nada porque nada somos"

Já ouviu a frase "Cada escolha uma renúncia"? Pois é. Sempre que optamos por algo, automaticamente renunciamos, ou melhor, desistimos de um sem-número de outros algos. Se escolheu morar no Rio de Janeiro, você está desistindo de viver em todas as outras cidades do mundo. Faculdade de Direito? Desistiu de todas os outros cursos. Trocou de emprego? Desistiu do anterior e até de ser malabarista de rua, seu sonho! Namora Sicrano da Silva? Então, desistiu de todos os Fulanos (exceto do Beltrano que ainda está na lista de contatinhos, né?). Todas essas são desistências indiretas, um efeito colateral das escolhas. Mas existe uma forma diferente de desistir que é mais interessante.

Melhor do que as renúncias "por tabela" são as desistências diretas, quando conscientemente não queremos mais algo que a gente almejava muito. Eu vivo fazendo isso. Vivo! Queria ser professor. Fui fazer História. Desisti no meio do curso. Mudei para Jornalismo. Trabalhei em redações e assessorias. Desisti. Abri uma loja de camisetas. Uma fábrica de camisetas. Vamos encher o mundo de camisetas. Dominar o mundo das camisetas... é isso mesmo? Não era. Adeus, fábrica! Deixa esse lance de indústria para quem gosta. E agora, José?

Bem, agora é uma vontade danada de voltar para a comunicação. Não em veículos, mas aqui no Printerama mesmo. Até quando? Até desistir e escolher outro rumo. Fluir pelo espaço é bem mais legal do que tentar possuir o espaço. Afinal, "Não temos nada porque nada somos", como disse Fernando Pessoa usando a voz de Bernardo Soares no texto "A renúncia é a libertação. Não querer é poder."

Sigamos desistentes e livres!

P.S: Crianças, o Printerama não tá fechando, ok? Está só fazendo uma curvinha na direção da comunicação e arte ao invés da industrialização fabril. Está tudo bem! Tem uma monte de camisetas, bonés e pins lá no site pra vocês comprarem e vamos seguir lançando mais. Inclusive, a imagem que ilustra este post é uma estampa. Não renuncie à sua Printerama! (Contradição mercantil no final no texto, né? Capitalismo é foda!).

 

@antinosilva, jornalista sem pauta, dono da metade da porra toda,
empresário frustrado e surfista de merda.